Comprou um fogão novo ELECTROLUX? Então, prepare-se para a dor de cabeça.

_electrolux-logo-2

No dia 18 de junho, compramos um fogão Electrolux, com dois fornos, acabamento metalizado… da linha Celebrate, modelo 56DTX (veja foto abaixo), com todos os requisitos de um eletrodoméstico de qualidade, inclusive o preço. Custou quase 2 mil reais. A partir da data de entrega os nossos problemas começaram.

_fogao2

Procuramos uma assistência técnica, no Rio de Janeiro,  para realizar a instalação, que consiste, basicamente, na troca dos bicos do fogão e colocação da mangueira de abastecimento. Para quem não sabe, quando você compra um fogão novo, ele vem pronto para ser usado com “botijão” e  não para gás canalizado (de rua). Isso faz com que você fique dependendo de uma assistência técnica, terceirizada, com técnicos nem sempre capazes de executar perfeitamente o serviço necessário.

Ligamos para assistência técnica Electrolux,  a “BRM Assistência Técnica”,  (21) 3503-0900, para solicitar a instalação. Primeira surpresa é que eles não tinham o material necessário para a instalação. Deveria ser encomendado e estariam disponíveis após 48 horas. Depois de uma semana telefonamos novamente para saber se já haviam chegado as peças e a resposta foi negativa. Ligamos para a Electrolux e solicitamos novamente o envio das peças para a assistência.

assistencia

Endereço da BRM, no Google. Por que será que tem somente 2 estrelas e nota 1,8?

Não preciso nem comentar os preços das peças, se comparados aos preços encontrados no mercado. A troca dos bicos não tinha custo, mas a mangueira custava mais do que o dobro do preço.

No dia da instalação, o técnico praticamente desmontou o fogão para realizar o serviço, de maneira não muito organizada. Inicialmente, alegou que faltavam peças adaptadoras para a ligação da mangueira… e me disse ter na sua bolsa ao preço de 40 reais. O fato é que eu já havia comprado essa peça e ele disse inicialmente não servir, e depois mudou de ideia.

chamas

As chamas apresentam uma mistura de azul e amarelo.

Após a conclusão do serviço e início do uso do fogão, notamos duas coisas: a primeira é que as chamas estavam muito amarelas, ao invés de somente azuis, o que indica falta de regulagem, mas o problema maior foi a boca de tripla chama, que não se acendia facilmente e deixava um forte cheiro de gás na cozinha. Quando girávamos o botão de acendimento, um forte barulho de gás escapando, com odor de gás, logicamente, e pressionando o acendedor a chama não se acendia. (Veja o vídeo abaixo).

Telefonamos novamente para a assistência técnica BRM e informamos o que acontecia com o fogão. Agendamos nova visita e veio o mesmo técnico que fez a instalação. Nem tocou no fogão, e alegou que estava tudo normal. Disse que o gás amarelo é normal e que a boca grande tem o acendimento assim mesmo… que deveríamos girar o botão até o fim (fogo baixo) para só depois clicar no acendedor. Isso não está escrito no manual e nunca vimos em qualquer fogão do planeta Terra. Sem nem ao menos testar o fogão, só quis saber dos 40 reais da visita, que logicamente não pagamos.

Novamente, por várias vezes, procuramos o SAC da Electrolux que nos pediram pra gravar um vídeo explicando o problema. Assim o fizemos e os “técnicos engenheiros” afirmam que está tudo normal… quando não está.

O negócio vai ser seguir a dica de um outro internauta que disse que melhor do que assistência técnica é procurar um “fuçador e bebedor de cachaça da esquina”, que entende mais de fogão do que os técnicos dessas assistências.

Vejam o vídeo no link acima e me digam: está realmente tudo normal com esse fogão?

Marcelo Ribeiro

 

Curso de FILMMAKER tem nova data de início: 30 DE JUNHO, na Facha.

O Curso de Filmmaker com data prevista para o seu início no próximo dia 16 de junho, teve sua data adiada para o dia 30 de junho e aqui estão os motivos.
Na próxima semana, teremos o feriado de Corpus Christi, quinta feira, 7 de junho. A FACHA também suspenderá as suas atividades na sexta-feira dia 8 e no sábado dia 9.

Atualmente estamos no meio de um curso de Final Cut, que tinha, inicialmente a previsão de término em 9 de junho. Com o feriado, entretanto, essa data foi automaticamente adiada para o sábado seguinte, dia 16, data inicialmente divulgada para o inicio do Curso de FILMMAKER.

Como os dois cursos são realizados no mesmo horário, das 9h as 13h, já teríamos que adiar essa data de início.
Além disso, algo mais acontece em nossa cidade. Como todos sabem, junho será o mês da “Rio+20” e a cidade faz a contagem regressiva para esse grande evento.

O prefeito do Rio já decretou feriado na cidade, nos dias 21, 22 e 23 de junho. Teremos feriado na terça, quarta e quinta  e, levando-se em conta que muitos alunos poderão aproveitar esse feriadao para viajar, decidimos transferir para o dia 29 de junho, o último sábado do mês, o início do curso.
Logicamente a data final tambem será outra. Teremos encontros até 13 de outubro, em princípio, se nenhuma outra data de aula necessitar novo adiamento.
Muitos alunos já se inscreveram e o curso terá uma turma bem empolgada para fazer filmes. Por que você não se junta a nós nessa aventura? Ainda dá tempo. As vagas são limitadas, mas ainda há tempo de reservar a sua. Aproveite!

 Aqui está o programa completo do curso. Se você tiver alguma dúvida sobre qualquer assunto relacionado ao curso, não hesite em perguntar, mandar email, comentar aqui pelo blog ou telefonar para o Márcio ou a Fran, no núcleo de extensão da Facha. Os telefones são 21 2102-3165/ 2102-3185.

Curso de FILMMAKER PROGRAMA

Princípios básicos

Pré-produção / produção / pós-produção

Roteiro

Descrição de personagens
Plot e ação dramática
Desenvolvimento do roteiro / diálogos
Formatação do roteiro / storyboard

Fotografia e iluminação

Lentes / distância focal / perspectiva
Teleobjetiva / normal / grande angular / zoom
Iluminação – princípios básicos
Luz natural / artificial / mista
Temperatura de cor / espectro visível
Luz direta / difusa / rebatida / dura / suave
Contra-luz / luz de enchimento

Direção de atores e de cena

Direção e assistência de direção
Eixo de 180 graus / quebra do eixo
Mapa do set / planta baixa
Escolha do elenco / atores / figuração
Direção de atores / direção de cena

Posicionamento de câmera

Escolha de lentes / ângulos
Ensaios e filmagem
Operação de câmera
Movimentos de câmera / panorâmica / tilt
travelling / combinações
Câmera na mão / tripé / steady-cam / grua
trilho / câmera subjetiva
Enquadramentos, ângulos e pontos de vista
Plano e contra plano / plano sequência
Close up / plano detalhe / plano médio
plano americano / geral
Tipos de câmera e formatos de mídia

Elenco

Testes / escolha / atuação para as câmeras
Emoções / reações / voz / exercícios

Pré-produção

Locações externas e em estúdio
Assistência de direção
Continuidade / claquete

Produção – princípios básicos

Produção e assistência de produção
Agenda / contatos / equipe / custos
Contratos / autorizações / documentos
Decupagem / locações / projeto de cenários
Equipe – arte / figurino / maquiagem
Cronograma de filmagem – externa e estúdio
Gravações / filmagem / making of
Transporte e alimentação

Áudio

Som ambiente / microfones / captação
Sincronismo com imagem / boom / claquete

Pós-produção

Edição em Final Cut / correcão de cor
Sincronismo de áudio, vídeo e trilhas
Créditos e finalização para exibição

Divulgação

Teaser / trailer / material gráfico / fotos
Material de divulgação / releases

– – – – – – – – – –

Então, não perca tempo. Entre no site da Facha e reserve a sua vaga.
Abraços e ate breve

Caderno de Turismo – O Globo – New York

Quando comecei a cursar Jornalismo, eu já fotografava e queria arranjar um jeito de ganhar uma graninha para comprar mais equipamentos, mais algumas lentes, uma nova câmera. Além disso, também tinha muita vontade de viajar e conhecer lugares.

Aproveitando essa mistura de vontades, resolvi ir à luta. Recém-formado em Arquitetura, comprei uma passagem e fui para Nova Iorque, passar uma semana. Embarquei acompanhado pela minha inseparável máquina fotográfica e muita curiosidade aventureira, já que meu inglês não era lá essas coisas. Foi uma verdadeira viagem fotográfica, onde “enquadrava e clicava” tudo o que via, numa época em que ainda não havia a fotografia digital. Era filme mesmo. Não era tão simples fotografar, como nos dias de hoje. Para as fotos coloridas, usadas para impressão em revistas ou jornais, as fotos tinham que ser feitas em película, filme diapositivo, que chamávamos de “chromo”. Para cada sensibilidade de filme diferente, era um rolinho de filme diverso, asa 400, 100 etc. Sem contar que os filmes e a revelacão também não eram baratos. Para economizar, comprava os filmes negativos e chromo em lata, que repois eram rebobinados em camara escura. Cada lata dava para carregar 22 rolinhos de 36 fotos. Assim, o preco de cada rolinho caia aproximadamente pela metade, mas tinha o trabalho de rebobiná-los, um a um. Valia a pena, pela economia.

Para as fotos em preto e branco, usávamos o filme em negativo, que também para economizar, nós fotógrafos, revelávamos e ampliávamos em casa, numa câmara escura com um ampliador, luz vermelha e alguns banhos químicos (revelador, interruptor e fixador).

De volta ao Brasil, depois da viagem, já com as fotos reveladas e uns textos escritos sobre essa primeira aventura na terra do Tio Sam, procurei o caderno de Turismo do jornal O Globo para oferecer o material que havia preparado. Fui muito bem recebido e na semana seguinte já pude ver as minhas fotos publicadas no jornal, acompanhadas pelo meu texto.

Essa porta se abriu e posteriormente tive publicadas diversas outras materias para o Caderno de Turismo, em outras cidades. No Brasil, por exemplo, fiz matérias em Campo Grande MS, Recife PE, Porto Velho RO, entre outras. (Veja essas matérias em outros artigos do meu blog)

Tempos depois, eu já estava oferecendo, também, material para a Revista Geográfica, da Bloch Editores. Uma das matérias, com as minhas fotos, foi sobre o Carnaval de Veneza. (Veja em outro artigo).

Aqui fica a dica: “uma boa ideia sempre encontra uma maneira de ter a sua recompensa”.

Até a próxima!!

FUJAM DO BRADESCO!!

Recentemente fui “obrigado” a abrir uma conta no Bradesco, pois a empresa onde trabalho só paga o salário a quem tem conta neste banco. Que tristeza.

Nesta empresa, há um funcionário do banco numa sala, onde ele atende das 10 às 12h, mas resolver problemas está longe de sua competência.

Dias depois de aberta a conta, somente para receber o salário, o tal funcionário me informou que eu teria que pagar 18 reais mensais para ter a conta, e esse valor poderia ser revertido em créditos de telefone celular. Perguntou qual era a minha operadora. Quando eu disse que era TIM, ele falou: “Ahh, Tim não tem… Compre um chip da Vivo que você poderá usar os créditos”. É mole??

Consultando alguns site na internet, descobri que , por lei, todos os bancos tem que abrir contas básicas, caso solicitado. Só que eles não divulgam isso. Então, se você paga para ter conta em banco, procure a sua agência e diga que não quer mais pagar nada!!! Eles tem que aceitar o seu pedido. É Lei!!  E era o que eu queria, uma conta sem qualquer custo mensal. Custo ZERO mesmo!

Voltei lá pra falar com o funcionário Bradesco… e ele com a cara mais lavada do mundo disse que cancelaria, então, a tal taxa mensal. Me disse que eu não havia pedido uma conta básica…

Me ofereceu de tudo, cartão de crédito, talão de cheques,  seguro disso e daquilo e fui bem claro dizendo que nao queria NADA… que estava sendo obrigado a engolir o BRADESCO.

Alguns dias depois, identifiquei em meu extrato o debito de 7,99 referentes a anuidade de um cartão de crédito, que além de não ter sido pedido, nunca chegou a mim. Aliás, o meu pedido foi para que NÃO FOSSE EMITIDO.

Como se não bastasse a apurrinhação, fui novamente procurar o funcionário da agência e ele me disse que esse cancelamento teria que ser feito por telefone, o tal FONE FACIL BRADESCO. Há quase 1 mês estou tentando ter de volta esses $7,99 reais, sem êxito até o momento.

Acabo de ligar mais uma vez para o FONE FÁCIL, sem conseguir resolver o caso. Cada um me direciona pra um número e sou atendido por gravações com opções que não resolvem o meu problema. Enrolação total, nota 10!!

No final das contas, somente hoje, depois de 5 ligações pagas por mim, o último me informou que terei que ir à minha agencia, não a que funciona na empresa, mas a outra que ela representa, para resolver esse problema, criado por eles mesmos.

Como se não bastasse, hoje, no meu extrato, apareceu o débito de um SEGURO PARA CHEQUE ESPECIAL, sendo que nem talão de cheques eu possuo. E nem quero.

Ahhh tem mais… para pagar outro dia um boleto pela internet, além de conectar com várias senhas e números  o site pede que você ligue para o FONE FÁCIL BRADESCO, para desbloquerá o pagamento. Aí você tem que digitar no telefone, todos os números e senhas novamente… Péssimo, péssimo!!!

Estou irritadíssimo com esse banco que se diz moderno. Não resolvi os problemas e vou ver o que posso fazer para não mais ter que aguentar esse amadorismo e mau atendimento, para simplesmente receber o meu salário mensal. Quero distância do BRADESCO!!!